Você está Visitando o site Weizur Brasil. Veja informações sobre todas filiais aqui.

Notícias

A Importância do Controle de Contagem Bacteriana do Leite - CBT

A Importância do Controle de Contagem Bacteriana do Leite - CBT

Alguns fatores são determinantes para obtenção de um leite de qualidade, aqui iremos retratar fatores importantes para controle bacteriano do leite, mais comumente chamados UFC (unidade formadora de colônia) e CBT (contagem bacteriana total).

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento publicou recentemente a instrução normativa 77 criando novos parâmetros para obtenção, coleta, produção e comércio do leite.

A CBT indica a contaminação de bactérias existentes no leite, de acordo com o MAPA a CBT máxima admitida no leite é de 300.000 UFC/ml, realizando uma análise da média trimestral do leite cru refrigerado na propriedade.

Como incentivo aos produtores para que se enquadrem dentro dos parâmetros publicados pelo MAPA, laticínios geram uma bonificação de acordo com a qualidade de leite da propriedade. Os fatores analisados para essa bonificação são: gordura, proteína, CBT (UFC), CCS (contagem de células somáticas) e volume, dos quais apenas a CBT depende diretamente da mão de obra, ou seja, da rotina de ordenha.

Existem alguns fatores importantes que interferem na CBT: higienização de equipamentos de ordenha e utensílios, limpeza e secagem dos tetos antes da ordenha, temperatura de armazenamento do leite e, com menor frequência, mastite causada por Streptococcus agalactiae.

Importante ressaltar que não conseguimos eliminar as bactérias contidas no leite após ordenhado, então, temos que tomar todo cuidado para que ele possa ser ordenhado da forma mais higiênica possível, evitando assim, a proliferação das bactérias já existentes.

A higienização e manutenção do equipamento de ordenha está entre os fatores mais importantes para se obter um leite com baixa carga bacteriana, o treinamento da mão de obra, explicando-se a importância da correta rotina de ordenha para obtenção do leite de qualidade e os benefícios gerados, são de extrema importância para que a equipe possa realizar corretamente os procedimentos de ordenha, desde a sanitização do equipamento até a armazenagem do leite no tanque resfriador.

Os processos de higienização de equipamentos devem seguir um passo a passo indicado pelo técnico responsável, e realizado de forma rigorosa, para que se alcance uma excelência no processo de ordenha e retirada de resíduos do leite no equipamento. Além do uso de produtos de qualidade, programadores de limpeza automáticos, são hoje, uma excelente ferramenta para que os processos de limpeza sejam feitos corretamente independente da ação do homem, já que eles “puxam” o produto dos galões na dosagem e hora programada, a única obrigação do ordenhador nesse caso, é, visualizar a quantidade de produto dentro dos galões para que não deixe acabar, fazendo, quando necessária, a reposição do produto.

Os produtos utilizados para tal higienização são: Sanitizante (bactericida), Detergente Alcalino clorado (retirada de resíduos de gordura e proteína) e Detergente Ácido (retirada de resíduos minerais)

Sanitização: feita sempre antes do início da ordenha, tem a função de eliminar bactérias que possam ter contaminado o equipamento no intervalo de uma ordenha e início da outra ordenha. O produto recomendado para uso é o ácido peracético.

Detergente alcalino clorado: usado sempre após o enxágue do equipamento para retirada do resíduo de leite após a ordenha. Para melhor eficiência do produto recomenda-se utilizar água a temperatura inicial de 75 graus que ajuda no processo de remoção da gordura, potencializando a ação do produto. Importante seguir recomendações de dosagem e tempo contidas no rótulo recomendadas pelo fabricante. No caso de resfriadores de leite com lavagem manual pode-se usar um detergente neutro ou alcalino com uso da uma escova apropriada para esfregação.

Detergente Ácido: pode ser usado 2 a 3 vezes por semana ou diariamente, isso vai depender da necessidade da propriedade e de acordo com a recomendação do técnico responsável pela qualidade de leite.

Outros pontos importantes para diminuir a contagem bacteriana do leite:  

  • Utilizar água de boa qualidade
  • Uso de luvas ao ordenhador
  • Pré dipping e secagem dos tetos bem feitos
  • Manutenção periódica do equipamento de ordenha

A imediata refrigeração do leite após a ordenha também ajuda a inibir o crescimento bacteriano. Por isso a IN 77 estabelece que o leite, nos resfriadores das propriedades rurais, deve estar na temperatura de 4 graus e armazenados no máximo por 48 horas.

O produtor deve estar ciente que leite de qualidade mais que uma exigência é uma obrigação e esse quesito deve ser tratado como meta, pois com isso, ele pode receber mais pelo seu produto, além de beneficiar os consumidores com produtos de melhor qualidade.

Dica útil: A Weizur do Brasil acaba de realizar o lançamento do programador de limpeza automático GOWASH, com ele, pode-se programar o ciclo de higienização dos equipamentos de acordo com a rotina de limpeza apropriada para cada propriedade. Com GOWASH utiliza-se a dosagem correta de produtos, proporcionando consumo ideal e consequente economia, além da vantagem de realizar toda a limpeza dos equipamentos de ordenha nos horários programados e sem a necessidade de uma pessoa presente.

Aproveite condições de Pré-Venda do Gowash, acessando o link: https://bit.ly/2YRGxqU


Por Luiz Armando Tolentino - Médico veterinário – Pós graduado em Bovinocultura de leite | Supervisor Comercial Weizur do Brasil MG, RJ, ES ( luizt@weizur.com.br )

 

Fonte: Luiz Armando Tolentino

Voltar

Gowash Programador de Limpeza Weizur do Brasil
Luiz Armando Tolentino - Médico veterinário - Pós graduado em Bovinocultura de leite | Supervisor Comercial Weizur do Brasil MG, RJ, ES