Você está Visitando o site Weizur Brasil. Veja informações sobre todas filiais aqui.

Artigos

GO: PROGRAMA GOIÁS MAIS LEITE LEVA RESULTADOS POSITIVOS PARA PROPRIEDADE EM GOIÁS.

GO: PROGRAMA GOIÁS MAIS LEITE LEVA RESULTADOS POSITIVOS PARA PROPRIEDADE EM GOIÁS.

A Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), em parceria com o Sindicato Rural de Bela Vista de Goiás e a Cooperativa do município (Cooperbelgo), realizaram no início do mês de janeiro, na Fazenda Matinha, uma nova edição do ‘Dia de Campo’ do programa Goiás Mais Leite. Estiveram presentes no evento o presidente do Sistema Faeg/Senar, José Mário Schreiner, o presidente do Sindicato Rural de Bela Vista, Wanderley Rodrigues Siqueira, o presidente do Cooperbelgo, João Batista da Paixão, o vice - prefeito de Bela Vista, Juliano Moreira, o secretario de agricultura e meio ambiente Rosimar Joaquim Silva, técnicos, consultores, assim como 50 produtores rurais do município. A Fazenda Matinha possui 35 animais de pecuária de leite, sendo 12 vacas em lactação. A propriedade é uma das 30 que são assistidas pelo Programa Goiás Mais Leite, na região do município de Bela Vista. Por se destacar e apresentar relevantes resultados no trabalho de assistência técnica e gerencial, a pequena propriedade, na área rural de Bela Vista, foi escolhida para receber o evento. De acordo com Juscelino Antônio Soares, que é um dos proprietários da Fazenda Matinha, depois que a propriedade passou a ser assistida, houve aumento na produção diária de 80 litros para 240 litros de leite. Para ele, foi um importante incentivo, porque a fazenda não estava alcançando o lucro esperado. “Tive que ter muita força de vontade. Juntei muita pedra para poder limpar o pasto e minha terra também não era apropriada para criação de gado. Levei muito prejuízo e não via resultado. Quando começou a assistência técnica na propriedade, vieram os resultados. Muita gente nem acredita que estamos com essa produção”, afirmou o produtor. Maria Aparecida, que é esposa do Juscelino, lembra que o trabalho não foi nada fácil e que exigiu compromisso para colocar em prática as orientações sugeridas pelos técnicos. “Aos poucos os resultados foram aparecendo. Hoje temos qualidade de vida, a situação financeira está mais controlada, podemos ter momentos de lazer em família. Já fizemos até uma viagem para Caldas Novas, que era meu sonho”, relatou a produtora rural. O técnico da Cooperbelgo, Bruno dos Reis, reforçou que após a avaliação da propriedade houve a conclusão de que, realmente, o terreno da propriedade não tinha o perfil para a atividade de pastagem. “Para ampliar o espaço de alimentação dos animais foi preciso retirar quase um caminhão de pedras de todos os tamanhos da propriedade. A família não desanimou. Elaboramos um planejamento de alimentação mais nutritiva para os bovinos e trabalhamos a eficiência do solo. Com isso os resultados foram surgindo”, explica. De acordo com o coordenador do programa Goiás Mais Leite, Fernando Couto, a expectativa é intensificar o trabalho de assistência técnica em todos os municípios em 2017. “O sucesso da gestão da propriedade é a soma da determinação e confiança do produtor no trabalho dos técnicos. Estamos assistindo só no município de Bela Vista 30 famílias e acompanhando o resultado. Este ano vamos melhorar ainda mais essa assistência”, conclui.

Parcerias e resultados.

José Mário Schreiner enfatizou que resultados como os alcançados pelo produtor Juscelino e família mostram a importância da assistência técnica no meio rural. “A agropecuária é uma atividade difícil. Mas aliada a tecnologia e parcerias, é possível ver o retorno. Goiás tem 130 mil propriedades e desse total, 85 mil precisam de assistência técnica. Nosso objetivo é ver o produtor rural melhorar. Os governantes e administradores municipais precisam enxergar que a assistência técnica é um programa de desenvolvimento local e ajuda a movimentar a economia”, afirmou. Para o presidente do Sindicato Rural, Wanderley Rodrigues Siqueira, o acesso à informação e assistência para o pequeno pecuarista é extremamente necessário, já que ele cumpre papel importante na economia do município. “Por isso, estamos dispostos a dar continuidade na parceria entre Sindicato Rural, Senar Goiás e Cooperbelgo”, disse. O presidente da Cooperbelgo, João Batista da Paixão Júnior, destacou a preocupação que o Sistema Faeg Senar, por meio do seu presidente, sempre teve de levar assistência técnica aos municípios. “Auxiliar o pequeno produtor rural nessa tomada de decisão, que transforma a propriedade rural em uma empresa rentável, só foi possível graças à entidade”, destacou.

Voltar